Comumente denominada diluição Maltesa, este gene recessivo é uma das alterações mais comuns nos Aussies. Ela atua nos pêlos pretos e vermelho-fígado; os pontos de tan não são afetados. Um cão preto torna-se um azul ardósia, como o Dobermann azul. Um cão vermelho torna-se bege, como um Weimaraner. Num Aussie azul merle a cor mais escura será ardósia, em vez do preto. Normalmente o nariz de um cão diluído é ardósia ou fígado claro, mas este não é um indicador confiável do status de diluído – o couro do nariz pode ser escuro em alguns espécimes. Os olhos de um filhote diluído geralmente são algo mais claro que dos não-diluídos da mesma ninhada. Este tipo de diluição não tem conexão conhecida com qualquer condição de saúde na maioria das raças, apesar de que Dobermanns diluídos freqüentemente têm problemas de pele. Em Collies há outro tipo de diluição: a “síndrome do Collie cinzento”. Filhotes nascidos com esta condição apresentam neutropenia acíclica, uma desordem do sistema imunológico, que os deixa indefesos contra infecções. A maioria deles morre nas primeiras semanas a não ser que mantidos sob regime de antibióticos, a vida toda. Este tipo de diluição não é registrado nos Aussies.

Aqui está um belo par de filhotes de Aussie mostrando as diferenças entre o verdadeiro preto e o diluído. O filhote à direita é um preto tri normal. Seus olhos estão mudando a cor para âmbar escuro ou castanho e o couro do nariz é preto. O filhote à esquerda é um preto tri diluído (poderia ser corretamente denominado azul tricolor). Sua pelagem é principalmente em tom cinza ardósia e o couro do nariz é distintamente ardósia também. Seu olho está sendo sombreado pela pálpebra, mas não seria anormal se fosse ligeiramente mais claro que do seu irmão não-diluído. Seus pontos de tan são tão ricos quanto de seu irmão não-diluído, já que (dd) não atua sobre o tan.

Este é Rufous, um filhote azul diluído com aproximadamente oito semanas de idade. Se não fosse pela diluição, ele seria um preto bi, então o termo aqui seria “azul bi”. Nota-se que este filhote tem cor azul aço bem definida, onde alguns azuis diluídos desta página apresentam uma cobertura mais purpúrea. Em algumas raças, como nos pastores alemães, os azuis portadores de genes vermelhos (Bbdd) têm tom mais lilás que aqueles homozigóticos para preto (BBdd) que são puro azul aço, como este filhote. Não está comprovado nos Pastores Australianos, mas em Pastores alemães o preto não mascara completamente o vermelho quando a diluição está presente. Hipoteticamente esta é a razão do lilás nos Aussies azuis diluídos, mas requerem-se testes de linhagem para comprovar. O genótipo provável de Rufous é (BBdd).

Estes são o nariz e uma pata de Rufous. Freqüentemente os diluídos apresentam pele na cor ardósia, como ele, mas nem sempre é assim. Às vezes os diluídos têm o couro do nariz e das patas tão escuro que fica indistinguível do preto. A diluição também afeta as íris, e elas ficam mais claras que nos irmãos não-diluídos. Mas não afeta os pontos de tan; quando presente, o tan mantém a mesma intensidade que nos não-diluídos. Isto é freqüentemente notado em ninhadas de Dobermanns.

Estas são fotos de Alaska Blue Van Nattrekja. Ele é um azul escuro tricolor que compete em Agilidade, na Bélgica. Note o quanto suas marcações de tan nas bochechas são escuras. Os pontos de tan não são reduzidos pelo gene de diluição. Suas íris são cinza-marrom claro. A diluição faz variar consideravelmente o quanto elas serão mais escuras ou mais claras. Alaska representa o extremo escuro da escala; sob luz reduzida ele poderia ser confundido com um preto tri. Alaska é outro bom exemplo de azul puro metal sem traços lilases. Seu genótipo provável é (BBdd).

Este é Steele, um Aussie adotado e fotografado Leona Stabler. Ele também é um azul diluído, mas compare-o a Alaska. Ele apresenta um brilho distinto lilás ou avermelhado em sua pelagem azul. Seu nariz é bastante escuro, mas não preto verdadeiro. Sua pelagem apresenta um tom especialmente escuro, mais como Alaska, não tão claro quanto Rufous. A descendência genética de Steele é desconhecida, mas seu genótipo provável é (Bbdd).

Este é Rocket, um azul merle diluído (foto de Bob Holt). O couro do nariz de Rocket é ardósia acinzentado uniforme e ele não apresenta preto em qualquer parte de seu corpo. A marca mais escura que ele tem é ardósia escuro. Seu genótipo provável é (a^t? B? dd Mm s^i?). Se ele fosse um vermelho merle diluído, apresentaria tons de vermelho claro e bege.

O cão à esquerda é “Cheyenne”, um Aussie azul tri diluído, da Alemanha (foto de Shelly Hollen). Ele deveria ser denominado “azul tricolor”. Um preto tri normal está à sua direita para a comparação. Note que a ação do gene de diluição não afetou seus pontos de tan. O provável genótipo de Cheyenne é (a^t? B? dd mm s^i?).

A fêmea à esquerda, Phillips Beckey, é uma vermelha tricolor diluída, residente na Suécia. Um azul merle normal está à sua direita. Os pontos de tan de Beckey são bastante escuros, já que não são afetados pelo gene de diluição. Sua pelagem vermelho-fígado é diluída à cor de um Weimaraner, ou um Dobermann “fawn” (castanho amarelado), apesar de muitos vermelhos diluídos apresentarem tons muito mais claros. Seu nariz e contorno dos olhos são vermelho-fígado pálido, mais claros que na maioria dos tricolores. Seu proprietário não relata problemas de pele, como ocorre nos Dobermanns “fawn”. O genótipo provável de Beckey é (a^t? bb dd mm s^i?).